domingo, 30 de outubro de 2011

A CIDADE E A BÍBLIA



De acordo com a ONU, a previsão é que até 2020 a população urbana global atingirá 4,2 bilhões. Os estudos indicam que até lá mais 136 cidades no mundo chegará a marca de 10 milhões de habitantes. Essa expansão das megalópoles está multiplicando os problemas da sociedade. (1)
Os principais problemas ou desafios que são enfrentados pelas cidades são: VIOLÊNCIA, DEGRADAÇÃO DOS CENTROS, AR POLUÍDO, ENCHENTES, e FALTA DE LUGAR PARA DISPOR O LIXO. 
A maior consequência gerada  por esses problemas é a DEVASTAÇÃO AMBIENTAL. A poluição dos rios, aliado a destruição das matas e das reservas ecológicas afim de produzir alimentos para essa população, é algo avassalador. [deve-se sempre ter em mente, que para alimentar cada habitante da cidade é necessário produzir três vezes mais que o produzido para alimentar o homem do campo. O desejo em parceria com o desperdício, exigem uma produção constante, acarretando o uso de meios artificiais para manter os produtos na mesa da população mesmo fora da época propícia].
Por outro lado, esses centros urbanos, com seus habitantes cada vez mais educados e remunerados, também parecem ser uma fonte de ideias inovadoras para melhorar a vida no planeta. (2)
Para a socióloga holandesa Saskia Sassem, da Universidade de Columbia nos Estados Unidos, esses conglomerados urbanos, pela influência econômica e política global, também aumenta a produtividade humana, permitindo que as pessoas se encontrem para trocar ideias e gerar iniciativas revolucionarias. (3)
Por volta do ano de 1300 Ac., uma INICIATIVA revolucionária, na forma de escrita surgiu na costa oriental do Mar Mediterrâneo. O alfabeto fenício, com 22 letras era flexível o suficiente para escrever qualquer palavra. Ao simplificar a leitura, abriu um novo caminho para disseminação do conhecimento em várias terras.
.. A, B, C, D, E... Sem saber, alunos de hoje que recitam as letras do alfabeto estão repercutindo sons que viajaram milênios, vindos de Biblos, a cidade da antiga Fenícia, hoje Líbano, onde a primeira forma de escrita alfabética foi introduzida. A inscrição alfabética mais antiga é um 'epitáfio' gravado no sarcófago do rei Ahiram, que reinou no século XIII Ac. No século seguinte o uso do alfabeto já parecia estar difundido na região de Biblos. (4)
Os gregos usavam a palavra "Biblos" para designar a cidade e a sua principal mercadoria: O PAPIRO DO EGITO. Mais tarde usaram a palavra "biblía" para designar livros. A palavra portuguesa BÍBLIA se origina de "biblía".
E é exatamente no primeiro livro da Bíblia, <<< Bereshit, que na versão grega do 'antigo testamento' foi chamado de Gênesis (tradução precisa) termo que significa  Começo  >>> um dos primeiros livros escritos fazendo uso da nova e revolucionaria ideia  -- o alfabeto de 22 letras -- é que está registrado a história da fundação da primeira CIDADE. Uma historia que mostra o mesmo conteúdo visto nas cidades atuais: Violência, Degradação e Devastação.
Os leitores mais zelosos ao examinarem o capítulo 4 do livro de Gênesis, irão facilmente concluir que:
1- Caim, reconheceu ser o assassinato de Abel, o motivo pelo qual YAHWEH o condenou a ser banido do "Solo Fértil", e, a viver "errante" sobre a terra. 
2- A principal consequência do 'modus vivendis' de Caim foi a construção e fundação da "primeira cidade" mostrando ser ela "solo improdutível",  assim como um "local de exílio". [ essa mesma explicação é mostrada também em Gênesis 47: 13 a 26, quando José adquire todas as terras do Egito para Faraó, à época dos sete anos de escassez ( o sonho das vacas magras). 
A bíblia diz: Quanto aos homens "ELE OS REDUZIU À SERVIDÃO", de uma extremidade a outra do território egípcio. O texto entre aspas no hebaico, língua na qual o livro de Gênesis foi originalmente escrito é: ELE OS DEPORTOU NAS CIDADES.]
3- CAIM ao construir a primeira cidade tornou-se o "pai dos pastores, dos músicos, dos ferreiros, e das mulheres alegres de vida fácil -NOEMÁ- ", que proveem às "comodidades e aos prazeres da vida urbana". [ esses progressos  são atribuídos à linhagem de Caim o 'amaldiçoado'; e a mesma condenação da vida urbana é encontrada no pós diluvio, por ocasião da construção da Torre de Babel, em Gênesis 11, 1 a 9.]
4- A declaração de Lameque sua esposas Ada e Selá é uma espécie de "canto selvagem" honrando ao mesmo como sendo um "herói do deserto", e também, com a finalidade de exaltar a crescente "violência" da descendência de Caim.
Ao olharmos para os problemas vividos pela população das megalópoles do século XXI será visto uma reprodução da narrativa de Gênesis capítulo 4.
A violência, os prazeres mundanos, a escravidão ao trabalho, a degradação do ser humano, e a desconsideração pela vida humana foi a "semente" plantada por Caim, e se constitui nos frutos que alimentam a população atual. 
Seguindo essa linha de raciocínio, não é muito difícil perceber que apesar de a DEVASTAÇÃO AMBIENTAL acontecer em vários lugares, sua causa primária está localizada na cidade. Como foi no "passado", como é no "presente", e tal   como será no "futuro", a causa inicial de todos os tipos, e, também de todas as formas de devastação  é a "corrupção da natureza humana", que se manifesta em uma "rebeldia" contra IAHWEH < DEUS> destruindo sem discriminação, de modo direto e indireto, tudo que ELE criou, em contraste com a "exaltação" do  "EU", eliminando tudo o que coloca em risco a plenitude do prazer.
(1), (2), (3) = revista ÉPOCA, edição verde de 06-06-11, numero 681.
(4) = A aventura das descobertas e invenções de 1200 aC. a 1000 dC: "da idade do ferro à idade das trevas" - Seleções Reader'sDigest.
obs: este "post", também está publicado no BLOG:  cristaodebereia-cristaodebereia.blogspot.com (cristao de bereia e o meio ambiente).

0 comentários:

Blogger Template by Clairvo